CGI.br aponta crescimento de empresas de médio porte no mercado de provedores de Internet

O Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) divulgou os resultados da pesquisa TIC Provedores, revelando um grande aumento na presença de empresas de médio porte no mercado de provedores de Internet. De acordo com os dados apresentados durante a 13ª Semana de Infraestrutura da Internet no Brasil, a proporção de médias empresas nesse setor cresceu de 13% em 2020 para 17% em 2022. Em contrapartida, a participação das microempresas diminuiu de 56% para 46% no mesmo período.

A pesquisa também destacou que o número total de empresas atuando no setor reduziu de 12.826 para 11.630 de 2020 para 2022. Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br, observou uma tendência de fusões e aquisições, além do aumento do interesse de fundos de investimento no setor, como possíveis explicações para o crescimento das médias empresas. “Isso demonstra que a consolidação é um movimento em curso no mercado brasileiro. Além disso, o Brasil continua a ser um país com um grande número de provedores em atividade, quando comparado com outros países”, analisa.

A fibra óptica continua sendo a tecnologia dominante, presente em 95% dos provedores em território nacional em 2022. No entanto, houve mudanças na infraestrutura de rede de transmissão, com a proporção de empresas que oferecem acesso apenas por meio de infraestrutura própria diminuindo de 70% para 60%. Em contrapartida, a adoção do modelo misto, com acesso via infraestrutura própria e de terceiros, aumentou de 25% para 37%.

Aprimoramento do mercado

Outro destaque da pesquisa é o crescimento na participação de provedores em Pontos de Troca de Tráfego (PTT) ou no IX.br , que é o maior conjunto de PTT do mundo, distribuído pelas cinco regiões brasileiras. A proporção subiu de 30% para 37%.

Crescimento no NE e CO

O Nordeste e o Centro-Oeste também apresentaram crescimento na presença de provedores em pontos de troca de tráfego, com aumentos de 14 pontos percentuais em ambas as regiões.

“A presença dos provedores em PPT melhora, de forma efetiva, a troca de tráfego entre provedores, o que, na prática, pode significar um incremento substancial na qualidade da Internet que chega aos usuários do serviço”, avalia Fabio Senne, coordenador de pesquisas TIC do Cetic.br.

A oferta de IPv6 aos clientes teve um aumento expressivo de 24 pontos percentuais em relação a 2020, atingindo 64% do mercado em 2022.

Dados e segurança

Na área de dados e segurança, os provedores de acesso à Internet se destacam em relação a outros setores privados, com 40% deles dedicando uma área ou funcionários exclusivos para questões de segurança. Em comparação, empresas como um todo apresentaram uma proporção menor, sendo 23%. A pesquisa também revelou as ações mais citadas para adequação à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), incluindo o desenvolvimento de políticas de privacidade (57%) e testes de segurança contra vazamento de dados (58%).

Em relação à segurança, 23% dos provedores afirmaram ter sofrido ataques de negação de serviços (DDoS) em 2022, com empresas com mais de 6 mil clientes sendo alvo em maior proporção (34% contra 24%). Esses resultados indicam a importância crescente da segurança cibernética no setor de provedores de Internet.

 

Fonte: Teletime

Imagem: Canva

Compartilhe este post
plugins premium WordPress