5 dores do empresário e 5 dicas para eliminá-las

Durante suas trajetórias no mundo corporativo, os empreendedores enfrentam muitas “dores”, especialmente quando se trata do período inicial de um projeto.

É um grande desafio não somente criar uma empresa de valor – que detenha um modelo de negócio inovador –, mas também manter a saúde financeira do empreendimento, suportando seus resultados iniciais e pavimentando o caminho do crescimento.

Deste modo, ter dúvidas de como superar os obstáculos é muito comum e o mais importante é reconhecer e identificar suas dores para eliminá-las com mais facilidade.

Abaixo, listamos 5 das dores mais comuns e o caminho para você vencê-las.

Dor 1 – Dificuldade nas relações interpessoais

Como líder da empresa, o empreendedor deve saber manter-se estável em suas relações interpessoais, seja com seus colaboradores, clientes e fornecedores. Sem isso, você não conseguirá atrair talentos, engajar e motivar os profissionais e, sobretudo, obter sucesso no seu negócio.

Priorize o desenvolvimento dessas habilidades. Para resolver essa dor, construa uma relação positiva com todas as pessoas envolvidas na operação da sua empresa. Escute, estude, aprenda e pense em como você gostaria de ser tratado. Pode ter certeza de que isso terá um reflexo muito satisfatório não somente nos resultados, mas no dia a dia de todos.

Dor 2 – Dificuldade para delegar

O fundador, certamente, é a pessoa que mais conhece a empresa, certo? O empreendedor, especialmente no início, toma a iniciativa, colocando a “mão na massa” para o negócio funcionar. Mas, saiba: você não terá sucesso se centralizar tudo. Seu crescimento será limitado até onde seu olhar e braços alcançam.

É importante que os empresários contratem bem e confiem em seus colaborares. Delegar as tarefas operacionais às equipes para pensar nas estratégias de expansão da empresa é fundamental para quem quer ser grande.

Faça a transição do perfil de “faz tudo” para aquele que sabe delegar as tarefas para os colaboradores. Deixe de ser “dono da empresa” e torne-se “empresário”.

Se precisar de ajuda externa, contrate especialistas capacitados e qualificados. Também treine e oriente os profissionais para que o trabalho ocorra conforme sua indicação, organizando processos claros e facilmente reproduzíveis.

Você verá que essa iniciativa lhe trará mais tempo para pensar no seu negócio, inovar e focar na expansão do empreendimento.

Dor 3 – Medo de arriscar e crescer!

Quando o empreendedor vê tudo que idealizou dando certo, é natural aparecer o medo de arriscar tudo aquilo que ele conquistou. Mas, lembre-se que você arriscou muito para criar o negócio e que o risco calculado é essencial para a manutenção do crescimento. Estude, planeje e toma iniciativas positivas em busca de seus objetivos.

Estagnar-se não garante a longevidade da empresa. É uma falsa segurança. Inclusive, isso pode ser o “fim da linha” do negócio. Entretanto, é importante frisar que, para arriscar, as atitudes devem ser calculadas e planejadas.

Tudo deve ter seu devido equilíbrio. Nem arriscar-se de forma inadequada. Nem ficar na “zona de conforto”.

Dor 4 – Resistência em reinvestir parte do lucro na empresa

Quando a empresa começa a prosperar, muitas vezes, o empresário começa a investir o lucro da empresa em si mesmo. Claro que você deve acessar o resultado do seu esforço. Entretanto, também é importante que parto montante continue sendo direcionado para o crescimento do negócio.

Investir na infraestrutura, na contratação de profissionais qualificados, em sistemas de gestão mais modernos, em publicidade, consultoria externa e no aperfeiçoamento dos produtos/serviços oferecidos é essencial.

Determine o montante que será destinado para empresa a partir do lucro, visando o crescimento contínuo. Isso é visão estratégica do empresário. Seu negócio deve ser pensado para o longo prazo.

Dor 5 – Falta de planejamento

Não planejar um negócio é uma das principais dores dos empreendedores brasileiros – e uma das principais causas de falência empresarial. De acordo com um estudo idealizado pelo Sebrae/SP, 55% dos empreendedores iniciaram as atividades de sua empresa sem qualquer tipo de planejamento.

Antes de tudo, monte um plano de negócio, mesmo que de forma simplificada. Ele será de suma importância para orientar a gestão da empresa. Com isso, você terá uma mapa completo, com todos os riscos e oportunidades inerentes ao desenvolvimento do negócio.

O planejamento também pode auxiliar na tomada de decisões sobre temas importantes, como, por exemplo, recursos financeiros e humanos, público-alvo e as estratégias de marketing e vendas.

Não basta, portanto, fazer um planejamento inicial e não renová-lo com base no andamento. Este é um processo contínuo e que faz muita diferença no resultado. Se não puder fazê-lo, contrate quem possa lhe auxiliar.

Prospere sua empresa

Para ajudar você a superar essas dores e levar a sua empresa para o próximo nível, é importante contar com um suporte especializado em crescimento e lucratividade.

Através da assessoria da Prosper Capital, empresas de todas as regiões do Brasil estão alcançando os melhores resultados através da análise e aperfeiçoamento de suas questões financeiras, societárias e de gestão.

São mais de R$2,7 bilhões economizados ou transacionados, e mais de 200 clientes satisfeitos em 22 estados do país.

A solução em Otimização Tributária aumenta o lucro da sua emrpesa em até 50%, através da redução legal de impostos, e, ao mesmo tempo, acelera seu crescimento em até 4 vezes, através de melhorias na eficiência da gestão, na organização societária e no acesso facilitado ao crédito.

Como resultado, além da superação das dores do empresariado, você passa contar com uma empresa mais lucrativa e com valor de mercado 70% maior!

Entre em contato com um de nossos especialistas pelo WhatsApp, clicando aqui.

 

Fonte: Assessoria Prosper Capital com informações Marcus Marques

Imagem: Image by luis_molinero on Freepik

Compartilhe este post
plugins premium WordPress